Software

 Programando no Tempo, Desenvolvendo o Futuro

Faculdade Batista Administração e Sistemas de Informação

Seminário apresentado em 2000


Conteúdo


 

Sumário do Seminário                         Voltar para o Índice

Este seminário mostrará como o programador atuou durante a história da informática e está dividido em seis partes:

  • Uma breve introdução sobre os primeiros computadores, como surgiu o programador e os métodos utilizados para a programação destas primeiras máquinas.

  • A Primeira Geração de Computadores Eletrônicos: a programação das máquinas baseadas em válvulas. 

  • A Segunda Geração: Os computadores transistorizados e sua programação.

  • A Terceira Geração: O Circuito Integrado como base para os computadores.

  • A Quarta Geração: Os microcomputadores e a Internet.

  • Uma Conclusão sobre a programação de computadores.


 

Introdução                         Voltar para o Índice

Os dispositivos que precedem aos computadores eram máquinas de calcular. O primeiro invento que se tem registro, é o ábaco, utilizado pelos chineses em torno de 2000 a.C.

Em 1610 eram utilizadas as réguas de cálculo, que eram dispositivos manuais para realizar multiplicação e cálculo de logaritmos. Entre 1642 e 1890, surgiram as mais diversas máquinas de cálculo mecânicas, que funcionavam por meio de engrenagens. Nessa época, foi inventado o cartão perfurado, que tinha por objetivo programar as máquinas de tecelagem de Jacquard (1801), sendo somente um século depois que passou a ser utilizado em computadores.


Máquina de Jacquard e Perfurador de Cartão


Entre 1822 e 1871, um inventor inglês chamado Charles Babbage, criou uma máquina de cálculo mecânica denominada de máquina diferencial. Juntamente com Babbage, trabalhou a primeira programadora da história: a Condessa de Lovelace - Lady Ada Augusta Byron, responsável por auxiliar na programação das máquinas mecânicas criadas por Babbage.
 

Ada Augusta Byron


O primeiro computador eletromecânico, o Mark I, foi criado em 1937, por uma pequena empresa norte-americana chamada IBM. Em 1946, foi inventado o primeiro grande computador eletrônico valvulado: o ENIAC (Eletronic Numeric Integrator Analyser and Computer).
 

O Mark I e o ENIAC


Nessas máquinas, ainda não existia o conceito de software; toda a programação era realizada através de fios, que eram trocados de posição conforme a necessidade do usuário. A programação dessas máquinas levava semanas, e era totalmente passível a erros.

Agora veremos os computadores eletrônicos da Primeira Geração que utilizaram-se de software para sua programação.


 

Primeira Geração                         Voltar para o Índice

John von Neumann desenvolveu, entre 1945 e 1950 o conceito de programa armazenado, uma idéia que foi implantada nos computadores da época e é usada até os dias de hoje, nas máquinas mais modernas.

O primeiro computador que utilizou esse conceito foi o EDSAC - Eletronic Delay Storage Automatic Computer. Em 1951, surgiu o primeiro computador fabricado em escala comercial, que já utilizava os conceitos de von Neumann: o UNIVAC I. Outros computadores de sucesso também foram lançados na década de 50: o IBM 701 e o IBM 650.
 

O UNIVAC I e o IBM 650

Com a idéia de programa armazenado, a tarefa de programação dos computadores mudou totalmente. Os programadores passaram a não interagir mais com o hardware básico da máquina, apesar de serem profundos conhecedores da estrutura do equipamento.

Para efetuar a programação desses computadores, a linguagem era de máquina e específica para cada equipamento. O programador perfurava cartões com as instruções e dados a serem manipulados e os introduzia no equipamento, que por meio de leitura ótica fazia o carregamento do programa para a memória e o executava.

Como a linguagem de máquina era específica para cada equipamento, o programador era um especialista apenas naquele computador o qual programava. Outro problema é que cada programa servia apenas para aquela aplicação específica naquele computador, nada poderia ser aproveitado em outra aplicação.

A perfuração dos cartões era um processo inicialmente manual e passível a erros. Não havia como corrigir um cartão perfurado incorretamente.

No final da década de 50, surgiu a linguagem simbólica, o Assembly, que representa através de mnemônicos (ou símbolos) as instruções da linguagem de máquina. Com o Assembly, a tarefa de programação ficou um pouco mais simplificada, pois um programa já podia ser lido e entendido relativamente com facilidade, o que não ocorria com a linguagem de máquina.

Concluindo: a tarefa de programar máquinas da primeira geração exigia que os programadores fossem especialistas quanto ao hardware do computador, e era um trabalho muito demorado e dificultoso, além de ser passível a erros.


 

Segunda Geração                         Voltar para o Índice

Com o desenvolvimento do transistor, a partir de 1947 no Bell Laboratories, os computadores tiveram uma grande evolução tecnológica, pois o transistor era 100 vezes menor que uma válvula, consumia menos energia, era mais rápido e mais confiável do que a válvula.

O primeiro computador que utilizou o transistor foi o IBM 1401. Entre 1959 e 1965, surgiu o IBM 7094, que era um computador já totalmente transistorizado.

Em 1962, as fitas magnéticas passaram a ser utilizadas em computadores, o que facilitou a tarefa de programação, já que não era mais necessário o uso de cartões perfurados.
 

O IBM 1401 e as Fitas Magnéticas


As linguagens de programação passaram a ser de alto nível. Com isso, a programação se tornou mais acessível e a compreensão do programa mais fácil. Apesar disso, ainda existia a programação em assembly em algumas aplicações.

Em 1957, surgiu a primeira linguagem de programação de alto nível, o FORTRAN (FORmula TRANslator), desenvolvido para aplicações científicas. O FORTRAN foi usado para a programação de computadores até o final da década de 70.
 

Grace Hopper - A criadora do COBOL


Em 1958, surge a primeira linguagem estruturada de alto nível, o ALGOL (ALGOrithmic Language), utilizada para aplicações matemáticas.

Em 1960 foi criada a linguagem COBOL (COmmon Business Oriented Language), voltada para aplicações comerciais. O COBOL é utilizado até os dias de hoje, em muitos sistemas empresariais.
 

Os desenvolvedores do FORTRAN

Na década de 60, os computadores passaram a trabalhar em redes, e se tornarem multiusuários. Para se adequar a esse ambiente, foi criada uma linguagem interpretada baseada no FORTRAN, muito utilizada para o aprendizado, o BASIC (Beginners All-purpose Symbolic Instruction Code).
 

Kemeny e Kurtz - Os criadores do BASIC


Com as linguagens de alto nível, o programador passou a ter uma maior liberdade de criação, independente do equipamento a qual se está programando. Os programas já podiam ser verificados e modificados livremente antes e durante sua execução, o que facilitou muito a tarefa de programar. 

Sem os cartões perfurados, os programas podiam ser gravados, apagados e modificados através das fitas magnéticas, evitando o retrabalho total da programação.

Concluindo: Na segunda geração de computadores, a programação através de linguagens de alto nível simplificou o trabalho dos programadores, que não mais necessitavam conhecer profundamente o hardware da máquina. Os programas se tornaram legíveis e compatíveis com os mais diversos equipamentos, bastando apenas um compilador ou interpretador instalado na máquina.


 

Terceira Geração                         Voltar para o Índice

Em 1964, os circuitos integrados passaram a substituir o transistor em computadores comercializados. Como os circuitos integrados abrigam em seu pequeno encapsulamento um grande número de componentes eletrônicos, as máquinas se tornaram menores e muito mais poderosas.

O primeiro computador a utilizar os circuitos integrados foi o IBM 360, lançado em 1964.
 

O IBM 360 e o IBM 370


Na década de 60, o programador se utilizava das linguagens de alto nível (especialmente COBOL, FORTRAN e BASIC) para a realização de aplicações nos computadores da época.

Um problema surgiu nesse tipo de programação: a lógica dos programas não era organizada, a execução saltava para diferentes partes do código, o que tornava o algoritmo incompreensível. Assim, era gasto muito tempo para solucionar um erro cometido no programa.

No início dos anos 70, a preocupação era quanto a estruturação e modularidade dos programas, conceitos que são utilizados até os dias de hoje.

Em 1971 surge a linguagem Pascal, criada a partir do ALGOL, com o objetivo de ensinar aos programadores os conceitos de programação estruturada.

Em 1970, o Bell Laboratories da AT&T criou um sistema operacional multiusuário, o Unix, que foi utilizado primeiramente num PDP-11 da DEC (Digital Equipment Corporation) e é utilizado até os dias de hoje, especialmente em máquinas RISC.

Em 1974, o Bell Laboratories modificou uma linguagem chamada BCPL (mais conhecida como linguagem B), que era utilizada para a programação de máquinas Unix. A nova versão foi batizada de linguagem C.

A linguagem C é estruturada e modular, e produz código de máquina bem compacto. É utilizada até os dias de hoje, para a criação de software básico.

Com a utilização de linguagens estruturadas, o programador passou a escrever programas mais compactos e eficientes. A maior dificuldade desse tipo de linguagem, é que seu aprendizado não é tão simples como o de linguagens não-estruturadas, como o BASIC.

Também na década de 70, começou o conceito de documentar e planejar programas antes de codificá-los. Isso trouxe uma redução no tempo e nos custos de manutenção de programas já desenvolvidos.

Concluindo: Através da programação estruturada, o programador passou a ter um trabalho mais claro e inteligível, mas ao mesmo tempo mais desafiador, pois lógicas não-estruturadas não podiam mais ser utilizadas. Para a criação de programas, os profissionais tinham de ser muito criativos e mais conhecedores da aplicação do que do próprio equipamento.


 

Quarta Geração                         Voltar para o Índice

Em 1969, a Intel lança o primeiro microprocessador, o 4004, um circuito integrado de 4 bits com capacidade de processamento equivalente a do ENIAC de 1946. Esse microprocessador foi muito utilizado no início dos anos 70 para equipar calculadoras eletrônicas. Em 1971 a Intel fabrica o 8008, o primeiro microprocessador de 8 bits, e em 1974 é lançado o 8080.

O primeiro microcomputador, o Altair 8800 era equipado com o microprocessador 8080 da Intel, e tinha um custo de 621 dólares por unidade.
 

O Altair 8800


Em 1976, Sthephen Wozniak, ex-funcionário da HP e Steve Jobs, da Atari, uniram-se formando uma pequena empresa, a Apple. Produziram, então, o primeiro microcomputador de sucesso, o Apple I, e em 1977, o Apple II. Em 1981, a Apple lança o primeiro computador portátil, o precursor dos modernos laptops.
 

O Apple I e o Apple II


Em 1981, a IBM entrou no mercado dos microcomputadores, lançando o PC (Personal Computer) que se tornou o padrão dos micros fabricados até hoje.

Nessa época, a Microsoft, pequena empresa formada pelo estudante Bill Gates criou o primeiro sistema operacional para os PC's da IBM: o MS-DOS. Em 1984, a Apple introduziu o Macintosh, primeiro microcomputador com interface gráfica com o usuário, inspiração para o Windows da Microsoft.
 

O IBM PC e a Linha Macintosh

Com o surgimento do microcomputador e seu sucesso mundial, o programador passou a produzir pacotes de software, que eram comercializados separadamente com o hardware. O usuário final passou a estar mais distante do programador, que tinha que produzir programas que pudessem ser executados em qualquer máquina daquele padrão.

Nos anos 90, o conceito de programação mudou completamente. Com as interfaces gráficas como o Windows, a programação passou a ser visual, o desenvolvimento do programa se tornou também uma tarefa gráfica.

As antigas linguagens, como o BASIC, o PASCAL e o C ganharam novas versões, todas visuais, especializadas para a programação para interfaces gráficas. Surgiram então o Visual Basic e o Visual C++, da Microsoft, o Delphi e o C++ Builder da Borland, além de muitas outras.

Um conceito de programação que surgiu nessa época é o de Programação Orientada a Objetos. Com esse tipo de programação, muitos dos códigos que precisavam ser desenvolvidos pelos programadores já encontram-se embutidos em componentes ou objetos, que possuem propriedades (variáveis), métodos (procedimentos) e eventos relacionados.
 

Os Microcomputadores e os Laptops


Também nessa época, com a expansão da Internet, a programação ultrapassou os limites de aplicação restrita a uma máquina ou instituição. Surgiu a programação voltada para a Internet, que produz programas que podem ser compartilhados por inúmeros usuários espalhados pelo mundo, acessando a Internet com as mais diferentes máquinas e sistemas operacionais.

Para resolver esse problema de portabilidade, sugiram como padrão para a Internet a linguagem HTML (Hyper Text Markup Language) e ainda o ASP (Active Server Page) e VBScript, baseados na linguagem BASIC. Também se destacou como um padrão para a Internet a linguagem Java e o JavaScript, baseados na linguagem C++.

Concluindo: Com a programação visual e orientada por objetos, a tarefa de programação se tornou muito simples, possibilitando que praticamente qualquer pessoa, com um mínimo de conhecimentos, esteja apta a produzir programas. O que diferencia hoje um programador de outro, é a capacidade de documentar programas, o conhecimento profundo da linguagem e dos conceitos de programação e lógica para produzir programas eficientes, que atendam os requisitos e sejam de fácil manutenção.


 

Conclusão                         Voltar para o Índice

Como uma das mais antigas profissões na área de Informática, a programação de computadores esteve ao longo das décadas acompanhando o desenvolvimento da tecnologia e do conhecimento. O programador sempre teve como objetivo o cumprimento dos requisitos através de seu conhecimento e criatividade, visando a satisfação dos usuários da Informática.

Para o futuro, o programador tem um campo vasto e muito desafiador, pois com as tecnologias de hardware e software evoluindo constantemente, se não houver atualização de conhecimentos, ele pode se tornar um profissional obsoleto.

Entretanto, aquele profissional que se dedicar, programando ao longo do tempo, sempre atualizado, terá condições plenas de estar desenvolvendo o futuro da tecnologia e da ciência.


 

Mercado de Trabalho                         Voltar para o Índice

Nos dias de hoje, o programador que atua no mercado de trabalho deve ter conhecimentos de uma linguagem visual (Visual Basic, Delphi ou Visual C++) ou uma linguagem voltada para a Internet (HTML, ASP, Java). Além disso, os profissionais requisitados pelo mercado devem conhecer bancos de dados (Oracle, SQL).

A faixa salarial de um programador de formação superior pode variar entre R$1.300,00 e R$3.100,00.

O mercado de trabalho é amplo, existem muitas oportunidades para esse profissional da área de informática.


 

Bibliografia                         Voltar para o Índice

1. Meirelles, Fernando de Souza. Informática: novas aplicações com microcomputadores. 2.ed., São Paulo, Makron Books, 1994.

2. Desmonde, William Herbert. Os computadores e sua utilização. São Paulo, Pioneira, 1974.

3. Pereira, Sílvio do Lago. Um curso introdutório usando Turbo C. São Paulo, FATEC, 1991.

4. FATEC. Sistemas de Computação. São Paulo, FATEC, 1990.